sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Introdução

O Varnish, é um acelerador HTTP projetado para sites web dinâmicos com alto volume de conteúdo. Em contraste com outros aceleradores HTTP, muitos dos quais começaram a ser projetados como proxies do lado cliente ou servidores gerais, o Varnish foi projetado desde o início como um acelerador HTTP.

E como parte de sua arquitetura, funciona totalmente em memória RAM, log, filtros, todos os recursos são voláteis. Mas já inclui requisitos para personificação do funcionamento básico.


Procedimentos

  1. Criar o diretório de logs para Varnish:
    mkdir /var/log/varnish
  2. Ativar o varnishncsa como daemon para gravar o log no local indicado:
    varnishncsa -a -w /var/log/varnish/access.log -D -P /var/run/varnishncsa.pid
    • -a: anexa o log ao arquivo de log;
    • -w: escreve o log no arquivo de destino /var/log/varnish/access.log;
    • -D: executa o varnishncsa como daemon;
    • -P: acrescenta o arquivo de PID (varnishncsa.pid) no diretório /var/run/;

  3. Configurar o logrotate, para os logs do Varnish não encherem totalmente o disco:
    cat >  /etc/logrotate.d/varnish << eof 
    /var/log/varnish/*log {
                create 640 http log
                compress
                postrotate
                    /bin/kill -USR1 `cat /var/run/varnishncsa.pid 2>/dev/null` 2> /dev/null || true
                endscript
        }
    eof
    

  4. Acrescentar o comando no /etc/rc.local, para que seja sempre executado após o startup do sistema operacional:
    echo "varnishncsa -a -w /var/log/varnish/access.log -D -P /var/run/varnishncsa.pid" >> /etc/rc.local

Script de inicialização

Revisões

fev/2016 e Jul/2013

0 comentários: