terça-feira, 22 de março de 2016

republicado de InfoMoney

8 conselhos de investimentos que você daria ao seu “eu” mais novo

Algumas atitudes precisam começar desde cedo para que você tenha mais sucesso nas finanças

SÃO PAULO – Olhar para o passado e se arrepender de opções feitas é muito comum, especialmente quando o assunto é dinheiro. Um dos sentimentos que mais permanece é o de mudança, de querer voltar no tempo e reverter a situação, ou então de poder compartilhar com o seu “eu” mais novo alguns conselhos importantes. Tim Lemke, jornalista do Wise Bread, escreveu para o Business Insider o que ele, como investidor, gostaria que soubesse quando jovem:

1- Entenda o valor de juros compostos

Aposentadoria é uma das últimas coisas que você vai pensar quando estiver no início de carreira. “O quê? Aposentadoria? Mas só tenho 22 anos!”. Por mais estranho que pareça, investir desde os primeiros anos de trabalho é crucial para garantir uma boa renda no futuro; quanto mais cedo você começar a investir, maior será o período que o seu dinheiro tem para render. Além disso, com um grande horizonte pela frente, você não precisa se preocupar com as variações do mercado e pode até fazer investimentos mais arriscados.

2- Opte pelo investimento

Com o passar dos anos você se pega pensando em tudo o que comprou e nas dezenas de coisas inúteis com as quais gastou seu dinheiro: roupas, acessórios, músicas, filmes, jogos de videogame e caros happy hours com os amigos. Se valeram a pena? É claro que sim, mas quando a conta aperta, você percebe que ao invés de ter gastado, poderia ter revertido parte desse dinheiro em ações e ganhado muito mais.

A dica é começar a investir cedo, já que mesmo com atitudes conservadoras, como aplicando em ações de menos risco, a garantia de bom rendimento no futuro será grande.

3- Reinvista os dividendos

Como um jovem investidor, Tim costumava receber dividendos das empresas que possuía ações e utilizava esse dinheiro para o lazer: ir ao cinema, jantar fora, viajar ou para comprar roupas novas. O que ele não sabia, porém, é que poderia ter revertido esses dividendos em ações e aumentar ainda mais o seu portfólio.

4- Não entre em pânico

Quando você começa a investir, ver o mercado oscilar é um grande desafio. A euforia é grande e tirar o dinheiro aplicado se torna tentador, especialmente quando os seus investimentos estão perdendo valor rapidamente.

O que Tim aprendeu é que vender ações nesses cenários não é uma boa escolha, já que a recuperação a longo prazo pode reparar perdas anteriores e trazer grandes retornos.

5- Pare de checar seus investimentos todos os dias

O mercado sobe e desce a todo momento, uma vez que as variações são recorrentes e fazem parte do negócio. Um acompanhamento constante dessas mudanças, porém, não só atrapalha o planejamento, como estressa o investidor.

O aconselhável, portanto, é verificar o portfólio apenas uma vez por semana, a fim de reduzir a vontade de comprar ou vender papéis, a partir de reações emocionais provocadas por movimentos do mercado.

6- Olhe para os ETFs

A princípio, é divertido escolher uma empresa com a qual você está familiarizado, comprar algumas ações e acompanhar seu desempenho. Porém, apesar de ser uma boa tática para entender o funcionamento do mercado, pode não ser a melhor opção para ganhar dinheiro a longo prazo.

Uma alternativa que pode garantir mais sucesso é o investimento em fundos de índice (ETF), que são formados por ações de diversas empresas que acompanham o movimento dos principais índices da Bolsa.

7- Saiba no que está investindo

Quando Tim começou a investir para a aposentadoria, teve a opção de aplicar em diferentes fundos, e o fez, acreditando que era o caminho certo para a diversificação.

Com o passar do tempo, no entanto, pesquisou a respeito dos investimentos realizados por cada fundo e percebeu que muitos deles investiam nas mesmas grandes empresas, ou seja, ele não estava diversificando como havia imaginado. Por isso, afirma: antes de investir seu dinheiro, tenha noção de onde está aplicando. E e mais: aprenda a ler as informações dos fundos e também os relatórios de gestão.

8- Entenda as taxas e os impostos 

Corretoras de investimento tentam ser transparentes a respeito de suas taxas e despesas, mas é trabalho do investidor entender que comprar e vender ações não sai de graça.

As taxas de investimentos, cobradas nas transações, absorverão uma porcentagem de cada centavo investido, além de implicações fiscais que também estarão presentes quando você tentar vender suas participações.

Essas informações não devem servir como empecilho ao investir, mas é importante que os investidores mais jovens entendam que esses fatores impactam a performance de seus portfólios.

Quais conselhos de investimento você daria ao seu  (Thinkstock)
Quais conselhos de investimento você daria ao seu (Thinkstock)

0 comentários: