quinta-feira, 24 de maio de 2012

introdução

Como é notório o buildout facilita de forma espetacular a criação e a manutenção do ambiente zope/plone.

Para montar um ambiente de produção completo, é necessário alguns passos que publiquei em vários artigos diferentes, e resolvi, unificá-los para facilitar o aprendizado e/ou execução.

O FSS e Mount Point, recursos do Zope, são independentes entre si, mas juntos agregam uma maior estabilidade e robustez ao ambiente Zope.





Instalar Ambiente Principal

No artigo Brito: Plone 3, instalação básica, apresentei como instalar o plone 3.3.5, para mais detalhes acesso este artigo.

./install.sh zeo --target=/opt/p335 \
--user=admin --password=admin \
--zlib=local --jpeg=local --instance=cluster0;





Criar Ambiente Virtual

No artigo Brito: Criando instancias zope via buildout, apresentei como criar um ambiente com o virtualevn, e deixei disponível para download os arquivos necessários, mas agora também disponibilizei estes arquivos na postagem Brito: Instalação via buildout modo ZEO (Arquivos).

  1. Instala o virtualenv;
    /opt/p335/Python-2.4/bin/easy_install virtualenv

  2. Cria o ambiente;
    /opt/p335/Python-2.4/bin/virtualenv /opt/p335/meuplone

  3. Baixe os arquivos necessários para o diretório do ambiente /opt/p335/meuplone;

  4. Os próximos comandos devem ser executados dentro do ambiente;
    cd /opt/p335/meuplone

  5. Instalar o buildout;
    ./bin/python bootstrap.py

  6. Configurar as portas necessárias; tal como em Brito: Plone 3, instalação básica;
    vim ./buildout.cfg
Neste ponto já tem-se um ambiente funcional, criado através do virtualenv, e independente da estrutura principal.

Mount Point

No artigo Brito: Plone 3.3.5 + buildout + mount point, destaquei onde deve ser modificado no arquivo buildout.cfg, e algumas premissas que deve ser contempladas, ou melhor tomadas por regras. A grande maioria dos administradores de sistemas que gerenciam ambiente PZP, preferem usar números para identificar os ambientes, eu por outro lado, assim como nas melhores orientações de metodologias de sistemas, prefiro usar algo que identifique a aplicação adequadamente, e nomes com as regras abaixo, funcionam com louvor.
  • letras minusculas (caixa baixa);
  • não utilizar caracteres especiais;
  • não utilizar traço(-);
  1. No final da sessão [zeoserver], deixe uma linha em branco, e acrescente este trecho:
    [zeoserver]
    [...]
    
    zeo-conf-additional =
        <filestorage sg_odmeventosbd>
            path ${buildout:directory}/var/zeoserver/sg_odmeventosBD.fs
        </filestorage>

  2. No final da sessão [client1], deixe uma linha em branco, e acrescente este trecho:
    [client1]
    [...]
    
    zope-conf-additional =
        <zodb_db sg_odmeventosbd>
            mount-point /sg_odmeventos
            cache-size 5000
            <zeoclient>
                server ${zeoserver:zeo-address}
                storage sg_odmeventosbd
                name zeostorage
            </zeoclient>
        </zodb_db>
    

  3. Execute o buildout para validar as novas configurações;
    ./bin/buildout -v

  4. Reinicie o plone 3.3.5;
    ./bin/plonectl restart

File System Storage (FSS)

[fss]
recipe = iw.recipe.fss
zope-instances =
    ${client1:location}
    ${client2:location}
storages =
    global /
    britoblog /blog/brito incolumeblog /blog/incolume 
    perfumes /portal01/perfume flat /storage/perfume /storage/perfume/bkp
    loja /portal02/loja flat /storage/loja /storage/loja/bkp
    mail /portal03/mail directory /storage/mail/bkp /mail/loja/bkp

Referencias

Brito: Plone 3, instalação básica Brito: Criando instancias zope via buildout Brito: Instalação via buildout modo ZEO (Arquivos) Brito: Plone 3.3.5 + buildout + FileSistemStorage (FSS) Brito: Plone 3.3.5 + buildout + mount point

0 comentários: